domingo, 10 de janeiro de 2010

A palavra que tenho pregado¹



"Diferentemente da lei,na qual Deus fala contra mim, no evangelho ele fala em meu favor"².

É impressionante o número de cristãos que dão um tratamento equivocado à Bíblia, tratam-na como amuleto ou um livro de palavras mágicas. Outros ainda a vêem como um manual de conduta, não entendendo, no entanto, o que lêem.
Não é de se admirar que a igreja esteja composta por tanta gente enferma de alma, posto que não tenham compreendido o caráter libertador do Evangelho.
Grande parte da culpa, não anulando a responsabilidade pessoal, é da religião que tem imposto mediadores entre Deus e os homens.
Quantos não confiam cegamente em seus guias? Quantos não assumem um compromisso com a instituição crendo que seja com o próprio Deus? Quantos se sentem a vontade para questionar os seus líderes?
Assim, vai-se, pouco a pouco, fortalecendo um mecanismo de controle no qual a religião, e não Deus, vai comprando todo tipo de mercadorias, inclusive almas humanas³.
Tais guias, embora conheçam bem a verdade das Escrituras, não a proclamam para não perderem o reinado, ignorando a mensagem de Jesus: "Não será assim entre vós; mas todo aquele que quiser entre vós fazer-se grande seja vosso serviçal"(Mc 10.43).
Assim, vai-se tecendo, gradativamente, falsos evangelhos, alguns baseados nas leis da velha aliança, a qual o escritor de Hebreus declarou antiquada; outros baseados na moral vigente, como se alguém pudesse, por seus próprios méritos, obter salvação; e outros ainda baseados em visões e experiências pessoais.
A lei se cumpriu em Cristo.Isto significa dizer que Cristo cumpriu a lei por mim, aquela que me traria maldição se eu não a cumprisse por inteiro. Isto fazendo, Jesus tomou o meu lugar também no castigo. É através de Jesus que o Pai me vê agora!Esta é a Nova Aliança. Esta é a Graça!
Quais as implicações desse favor imerecido? Ora, para começar falemos de liberdade. Jesus não falou de um lugar específico para adorar a Deus, mas falou do ser em adoração constante: "Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade" (Jo 4.23).
Jesus não apresentou um pacote de ordenanças mas chamou-nos a auto-análise. Basta constatar isso no Sermão da Montanha.
Seguir leis, regras e ritos como culto de exterioridades só me serve para ganhar louvores dos homens. No entanto, Deus conhece o meu coração.
É nessa verdade que Cristo me propõe que eu ande, sabendo que o perdão já me foi dado. Nessa caminhada somos moldados pelas próprias mãos de Deus, posto que nosso corpo seja ainda barro...

Rosana K.Bulgakov

¹João 12.48
²BAYEER, Oswald. A teologia de Martim Lutero
³ Apoc. 18.13

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Moral de Causa e Efeito - Monografia

A Moral de Causa e Efeito no Discurso Religioso é um trabalho acadêmico apresentado no Curso de Letras (Português e Inglês), como recurso parcial de graduação.

clique aqui para ler

Templo ou Evangelho


E João lhe respondeu, dizendo: Mestre, vimos um que em teu nome expulsava demônios, o qual não nos segue; e nós lho proibimos, porque não nos segue.
Jesus, porém, disse: Não lho proibais; porque ninguém há que faça milagre em meu nome e possa logo falar mal de mim.
Mc. 9:38,39


Tenho aprendido a pertinência dessa palavra de Jesus¹. Realmente esse espírito de superioridade da instituição está arraigado de tal forma em nós que, tornou-se difícil "evangelizar" sem se convidar a ir à "igreja".
Os discípulos de Jesus, um pouco antes dessa passagem, haviam discutido entre si qual era o maior. Jesus deu-lhes uma lição de humildade tomando uma criança e mostrando que todos deveriam se parecer com ela...
Pareceu que não entenderam muito bem a lição. Devem ter entendido que a superioridade não estava na individualidade, mas no grupo, daí terem se achado os bons, pois andavam com o Mestre! Resultado: "nós lho proibimos" Mc 9.38
Jesus, mais uma vez, dá-lhes outra lição: "Quem não é contra nós, é por nós"Mc 9.40

Jesus tem ovelhas em todos os lugares, até mesmo fora do aprisco, e a Ele convém agregá-las. Não é à toa que a palavra diz que teríamos surpresas naquele grande dia.

Sinceramente, tenho amigos os quais tem ouvido o Evangelho, mas não os estimulo mais a ir ao templo, pois este tem sido o lugar onde menos se ouve do evangelho da Graça. Há uma série de invenções e doutrinas de homens, aplicações de versículos fora do contexto, disputas de poder, idolatrias, falsa comunhão, dentre outros.
Assim, a igreja vai se tornando literalmente um rebanho não pensante, doente, cheio de medos e paranóias. Muitos são levados ao ato da barganha, oprimidos pelo jugo da religião que lhes impõe uma série de mandamentos da velha aliança e outros tantos da moral vigente.

(continua - Clique em 'Mais informações' logo abaixo)

A Segurança da Graça


A Graça é algo assim, você está apaziguado não importa se você está no vale da sombra da morte ou se está sobre as alturas da terra, Deus está contigo em todos os momentos.

A Graça te dá liberdade de ser quem é. Ela te deixa livre para descansar em Deus, sabendo que é no amor que você realmente produz fruto.

Essa é a boa nova do Evangelho: Jesus nos trouxe cura na alma para que continuássemos sendo sarados no caminho da vida. A Graça é um processo contínuo de aprendizagem.

Ela nos fala de vida e não morte, mesmo que esta vida se revele em meio à dor da morte. 

Ela fala de liberdade, mesmo que esta se revele atrás de grades.

A Graça não aprisiona ninguém, mas faz nascer dentro de quem crê uma fonte que salta para a vida eterna.

Assim, a Graça fala da água que transborda e que acaba por inundar a própria vida. Neste processo,outras vidas são inundadas no caminho. É natural. 



Rosana K.Bulgakov

Seguidores